| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Tropa News
Desde: 07/08/2009      Publicadas: 239      Atualização: 21/05/2010

Capa |  Blogs e Colunas  |  Cidades  |  Comida  |  Cultura  |  Diversão  |  Economia  |  Educação  |  Equipe  |  Esporte  |  Informática  |  Mundo  |  Opinião  |  Pérolas iMundas  |  Política  |  Saúde


 Política

  13/05/2010
  0 comentário(s)


Doméstica não é profissão! Dona de casa é prostituta!

Outra coisa, de quem Lulla falou ao se referir às donas de casas dizendo que se vendem por um prato de feijão? Será que falou da própria esposa, Dna. Marisa Perdulária da Silva, que nem a cama deve fazer?


Tá aí mais preconceitos de Lulla. Eu venho falando disso há muito tempo e, a cada dia, o iMundo-mor me "presenteia" com mais e mais preconceitos.

Fazendo um levantamento rápido, Lulla já disse que mulheres deveriam ficar em casa cuidando dos maridos e não serem desaforadas para quererem a presidência da república; chamou o caseiro Francenildo de "simples caseiro"; Pelotas de exportadora de viados; Robert Zolliek de sub do sub do sub - hoje ele é presidente do Banco Mundial e por aí vai...

Não é de hoje que percebi o desprezo que a marginália iMunda tem por empregadas domésticas. Dia desses, tuitei que a senadora Fátima Cleide- PT/RO foi preconceituosa com as empregadas. Segundo a senadora, elas não são empregadas, mas secretárias do lar.
Ora bolas! Que eufemismo iMundo é esse? Quer dizer que empregadas domésticas são a escória da sociedade e devem sentir vergonha de seus empregos? Qual o mal em ser empregada doméstica?
Garanto que essas empregadas domésticas têm muito mais caráter e honra que os próprios iMundos que as discriminaram. Sabem por quê? Porque elas têm a confiança das famílias em que trabalham, ao contrário de Lulla e seu mensalão, se é que me entendem.

Outra coisa, de quem Lulla falou ao se referir às donas de casas dizendo que se vendem por um prato de feijão? Será que falou da própria esposa, Dna. Marisa Perdulária da Silva, que nem a cama deve fazer? Sim, porque não vi um ato humanitário da senhora em questão, ao contrário de Dna. Ruth Cardoso que a marginália tentou difamá-la com o dossiê da Dilma Vulcabrás e Erenice Kichute. Ah, eu vi, sim! Vi Dna Marisa Perdulária da Silva gastando com cartão corporativo - pelos jornais; soube que Dna Perdulária tirou cidadania italiana para ela e sua cria garantindo, assim, um futuro melhor para seus filhos; vi , em vídeo, Dna. Marisa deixando bilhete no Muro das Lamentações pedindo a Jesus paz entre Brasil e Israel. Impressionante, não? Será que é o efeito do feijão que Lulla dá a ela em troca de favores domésticos?

Muitas mulheres optam por cuidar dos filhos para garantir o sucesso profissional dos maridos. Como já vi maridos que foram para outro ramo, menos exigente, para que suas esposas seguissem a carreira profissional. Isto se chama FAMÍLIA, amor entre os seus que escolhem até perder alguma coisa para que o outro possa prosperar e, assim, todos prosperarem. Lulla não faz idéia do que é isso, ou melhor, até faz, porque a esposa deste cidadão nunca fez nada na vida. Segundo o próprio, Dna. Perdulária fazia sanduíches de "mortandela" para ele fazer piquetes em portas de empresas. E só!

O preconceito de Lulla para com as mulheres é velho. A própria Miriam Cordeiro já havia dado a nota.
Ele tem aquele sentimento coronelista de que mulher não tem opinião própria. Basta que se lembrem quando o iMundo-mor disse que "embuchou a galega na primeira pegada".
Nada mais bronco...

Se Dna. Marisa Perdulária da Silva se vende por um prato de feijão, muitas mulheres não o fazem.





Capa |  Blogs e Colunas  |  Cidades  |  Comida  |  Cultura  |  Diversão  |  Economia  |  Educação  |  Equipe  |  Esporte  |  Informática  |  Mundo  |  Opinião  |  Pérolas iMundas  |  Política  |  Saúde
Busca em

  
239 Notícias


Blogs e Colunas
 

Brasil

 

A Tropa na Veja no blog do mestre Augusto Nunes

 

Oriente Médio

 

FHC deve estar morrendo de rir. Eu? Idem!