| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Tropa News
Desde: 07/08/2009      Publicadas: 239      Atualização: 21/05/2010

Capa |  Blogs e Colunas  |  Cidades  |  Comida  |  Cultura  |  Diversão  |  Economia  |  Educação  |  Equipe  |  Esporte  |  Informática  |  Mundo  |  Opinião  |  Pérolas iMundas  |  Política  |  Saúde


 Economia

  10/08/2009
  0 comentário(s)


Merrill Lynch: mais dificuldades para governos da AL, blog Miriam Leitão

Os governos da América Latina terão mais dificuldades para reagir aos impactos residuais da crise daqui para frente, muito em função das limitações para adotar uma política fiscal anticiclica mais expansionista.

É o caso do Brasil, que tem pouco espaço para novos estímulos fiscais adicionais, segundo relatório da Merrill Lynch, divulgado nesta segunda-feira..

Merrill Lynch: mais dificuldades para governos da AL, blog Miriam Leitão
Enviado por Bruno Villas Bôas -
10.8.2009
|
12h40m
ANÁLISE
Merrill Lynch: mais dificuldades para governos da AL

Os governos da América Latina terão mais dificuldades para reagir aos impactos residuais da crise daqui para frente, muito em função das limitações para adotar uma política fiscal anticiclica mais expansionista.

É o caso do Brasil, que tem pouco espaço para novos estímulos fiscais adicionais, segundo relatório da Merrill Lynch, divulgado nesta segunda-feira.

No relatório de 16 páginas, o banco lembra que os países da região estão adotando medidas fiscais de combate a crise mais modestas que a média mundial, o que se deve em grande parte ao histórico de déficits públicos e aumento da dívida pública na região. Por isso, os países priorizaram o afrouxamento monetário.

"Mas como a maioria dos bancos centrais latino-americanos entrou em espera, a capacidade dos governos de aumentarem suas respostas contra os efeitos residuais da crise está agora limitada", afirma o banco no relatório.

O relatório cita estímulos adotados pelo governo brasileiro e seus efeitos sobre a economia, como no caso da redução de IPI para automóveis. Mas lembra que a meta do superávit primário em relação ao PIB foi furada neste ano e que existe, portanto, pouco espaço para novos estímulos.

No gráfico abaixo, a relação entre o resultado fiscal do setor público dos países e seus respectivos PIB.

Comentário.

Pois é, eis aí uma bela herança maldita para o próximo governo...déficits público e aumento da dívida pública...Deve ser a marolinha...

Carla


  Web site: oglobo.globo.com/online/economia/miriam/  Autor:   Carla Pola


  Mais notícias da seção América Latina no caderno Economia
08/08/2009 - América Latina - Em crise econômica, Cuba enfrenta escassez de papel higiênico
Cuba importa e produz papel higiênico, mas atualmente não tem matéria prima suficiente para a produção. ...



Capa |  Blogs e Colunas  |  Cidades  |  Comida  |  Cultura  |  Diversão  |  Economia  |  Educação  |  Equipe  |  Esporte  |  Informática  |  Mundo  |  Opinião  |  Pérolas iMundas  |  Política  |  Saúde
Busca em

  
239 Notícias